4.25.2006

PURA E SIMPLESMENTE SAUDADE...


Afinal de contas, chega sempre aquele dia em que a saudade aperta.
Hoje, sem a menor sombra de dúvida é o meu.
Um dia, como todos os outros, em que não há como deixar de pensar em você.
Na verdade, acordei pensando em você, estou agora pensando em você e garanto que vou dormir pemsando em você.

Acho engraçado como uma pessoa entra assim na vida da gente e se torna algo tão imprescindível quanto o ar que respiramos, quanto o sol que nos aquece após um longo período de chuva e frio. São coisas do amor. Não há como escapar.

Ela apenas viajou, mas estes 3 dias, nunca senti tanta falta de alguém. Juro...

Me perdoem de coração todas as minhas ex-namoradas, mas desta vez, eu tô sendo tão sincero comigo mesmo que faltam as palavras para descrever o que eu tô sentindo.

Esse misto de menina-mulher, que surgiu em minha vida meio que ao acaso, após um longo período de recesso (nem tanto, tô falando de gostar de verdade de alguém...),
arrebatou o meu coração em tão pouco tempo e com tanta intensidade, que parece até coisa de filme. Até hoje, eu acredito que ela não é capaz de dimensionar o amor que tenho por ela, mas sei que ela sabe que a amo... Sabe que é a mulher da minha vida.

Queridos leitores, estão entendendo agora o por quê de tanta saudade?

Deixa eu explicar melhor...

Ela tem um sorriso alegre e ao mesmo tempo misterioso, tem um olhar que não se pode evitar, uma pele suave e dourada que exala um perfume de morangos, um toque de carinho que entorpece, um beijo que arrebata aos céus, um corpo desenhado por Deus, lábios que me prendem o olhar... ai ai... isso é só o começo pra vocês terem uma idéia!

Essa é mulher que amo e que me causa tanta saudade.

Essa é a razão deste post às 2:00 da manhã em plena terça-feira!

Saudade, pura e simplemente saudade!

Tô esperando você como os desertos esperam pela chuva, como o atleta espera a linha de chegada, como pão epera e manteiga.

Sem você meu mundo é diferente, minha alegria é triste.

Te amo muito. Mal vejo a hora de te ter de volta em meus braços.

Um comentário: