6.22.2009

Independência ou Inconsequência?

Antes de começar, quero dizer do lugar mais profundo do meu coração que adoro as mulheres e sou fã incondicional de vocês. Minhas palavras aqui terão uma conotação 100% generalista, o que me exime completamente de estar falando pessoalmente para A, B ou C. Quero apenas fazer uma exposição de fatos e não uma “caça às bruxas”. Agora, se a carapuça servir, paciência. (Risos)

Vamos tentar explicar alguns motivos do porquê de tantas mulheres reclamando por não conseguirem encontrar aquele “alguém” pra manter um relacionamento mais duradouro.

Sem me alongar muito na parte histórica, importa apenas saber, queridas, que tudo começou com mais presença na década de 60 com a onda do movimento pró-liberdade que tomou conta do planeta. Lembram? A luta pela liberdade, a emancipação e a independência feminina.

Um conflito claro hoje em dia, é que as mulheres desejam essa independência, lutam por ela, mas quando pensam em relacionamentos ou estão competindo ou ainda sonham com o homem ideal. Mentira? Verdade. Muita verdade. E vale pra ambos os sexos. Sacanagem é sacanagem, vale qualquer um. Mas coisa séria é coisa séria, daí tem que saber escolher.

Tem mais, eu acho que as mulheres, por conta dessa constante luta por igualdade e independência, estão perdendo a identidade característica do gênero feminino e cada vez mais adotando perfis de conduta que são tipicamente masculinos.

Tudo que eu tenho lido e visto por aí, aponta pra isso. As mulheres estão muito mentais, muito fortes, e menos sensíveis e femininas. Fazendo coisas que uma “mulher de antigamente” jamais faria. Caçando em bando; perdendo a noção por completo; tomando todas; e ficando cada semana com um diferente; Isso é ou não é “coisa de homem”? Vejam, eu sou contra rótulos. Não quero começar aqui uma Guerra dos Sexos, ou levantar a bandeira do machismo ou do feminismo. Só to dizendo que tá tudo diferente. Agora, se é bom, ou ruim, é problema de cada um. Eu adoro ver as mulheres cada dia mais conquistando seu espaço, sua importância na sociedade e realizando coisas antes jamais imaginadas. O problema, como em tudo na vida, é o exagero.

Sabe aquele partido político que nunca esteve no poder e que quando assume, começa a fazer merda? É mais ou menos isso. Parece que a liberdade conquistada pelas mulheres está transformando de forma radical e assustadora os comportamentos de ambos os sexos. Sim, isso mesmo. De ambos. Porque agora, sabendo que as mulheres agem assim, desenfreadas e topando geral, me diz qual a razão pra um homem levar qualquer mulher a sério? Lembre-se que, como homem, posso afirmar categoricamente: se for pra comer, qualquer uma, mas se for pra namorar, tem que ser “a tal”. Isso não mudou entre nós homens. Então mulher, antes de ficar degustando de tudo por aí, comece a pensar em ser mais seletiva, se quiser encontrar alguém legal e que te respeite.

Uma mulher independente jamais será um problema para um homem inteligente (coisa cada vez mais rara, diga-se de passagem...). Mas a questão é que vocês mesmas estão preferindo um outro perfil de homem: “o sarado-burrão-descartável-filho-de-papai”. E ainda reclama que o bonitão só quer uma noite gostosa de sexo e nada mais. Queria o quê? Que ele fosse o pai dos teus filhos? Fala sério!

Não adianta, o “homem da sua vida” não está na boate te chamando de “gata”. Por favor meninas, parem de olhar só “abdômen de tanquinho”, o “bíceps malhado” e deêm mais atenção àquele moço que curte de coisas simples, que talvez use óculos e que adora de ir pro cinema. Ele pode estar agora mesmo aí do seu lado e não nas festas. Para de idealizar o homem perfeito. Se quiser casar com um, só indo pro convento.

Pensam que acabou? Não.

Rapazes, a “mulher da sua vida” não é aquela gostosa que você ta pegando na porta do banheiro da balada. Parem de olhar apenas pra bundas e peitos e reparem mais naquela pessoa que sempre está presente nos momentos da sua vida. Que te dá carinho e atenção gratuitamente e que provavelmente trabalha com você, mora na casa ao lado ou você conhece desde a infância.

Tá bom, né? Vou colocar meus óculos e ir pegar um cineminha agora. Beijos.

15 comentários:

  1. Esse é meu amigo/irmão, Bellini. Gosta tanto de escrever quanto eu. E como escreve bem esse rapaz!
    Bom, costumo pensar que sempre soube escolher minhas namoradas. Por isso, tive poucas até agora. É verdade! Namoradas foram poucas. Aventuras, diversas. Não ter dado certo, não quer dizer que errei na escolha. Sobre a estética, concordo também. Nem sempre são as gostosonas que são as melhores opções. Lógico que é bom peitos e bundas, coxas e barrigas sarados, mas não é tudo, nem são determinantes.
    Entre namoros e ficadas, vivi de tudo intensamente. Hoje, estou cansado (já estava antes, mas homem... rs). Quero (e preciso) uma história diferente, na qual eu não cometa os erros do passado e onde não tenham medo de me amar... (vou parar aqui, porque já está deixando de ser cometário e virando texto de outro blog). Abraço, Bellini!
    Cervinka

    ResponderExcluir
  2. Bom, vamos lá... Acho que esse post está precisando de um comentário feminino, neam?

    Olha, confesso que a carapuça serviu em diversas partes do texto, mas eu tenho total consciência disso. E vou falar por mim. O que pode parecer um tanto incoerente, mas né? Eu sou incoerente. =P

    Eu tenho atitudes e pensamentos extremamente masculinos em alguns pontos. Por exemplo: eu separo quem é pra namorar e quem é só pra transar. Meus pretês e trepês. E ó, poucas mulheres fazem isso. A maioria transa com qualquer um, e depois quer namorar esse mesmo qualquer um. Outro exemplo do meu "feminismo" [ou seria machismo?] é a minha eterna luta pela independencia. Não gosto de nada que me cobre, que me sufoque, que me exija... Pq eu sou inconstante para caraleo. Antes de amor, paixão, e até mesmo do sexo, vem minha liberdade. Ah, e eu não sou delicada, nem prendada.

    Em contrapartida, eu acho que a mulher tem sempre que estar bem vestida e cheirosa, bem maquiada, de salto alto... Não precisa ser LINDA quando se pode ser BEM CUIDADA. E também defendo que mulher tem que ser fútil. Não 24h por dia, mas pelo menos 1 hora de cada dia. É bom falar besteira. Acho horrível mulher que sai pra caçar. Eu saio pra me divertir. E por mais que eu separe os homens da minha vida em trepês e pretês, não consigo ficar com qualquer um. Muito menos transar. Meu trepê é o mesmo há DEZ ANOS, só pra vc ter uma idéia.

    E por que eu não transformo meu trepê em pretê? Porque nós temos objetivos de vida completamente difertentes. E porque ele fala MENAS. Irc!!

    Falei, falei... E não sei se me fiz compreender, mas é isso. Nós mulheres somos complicadas demais para sermos entendidas.

    ResponderExcluir
  3. "Não adianta, o “homem da sua vida” não está na boate te chamando de “gata”."

    lovédi essa parte!

    Mas cada um, cada um. Cada consciência, cada pessoa. Cedo ou tarde (talvez nunca) acabam caindo na real para o mundo.
    Boa questão a levantar.
    Ser ou não ser a mulher ativa?
    Será que as mulheres de hoje não estão precisando de um curso de "como ser mais mulherzinha"?
    Sei que eu preciso aprender a cozinhar urgentemente. Viver nos congelados que não dá.

    Agora vou nerdar na internet, pq eu não sou de ficar em boates idem.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo11:58 AM

    Vc transmitiu em poucos parágrafos, uma longa história que a cada dia se agrava mais e mais. Espero que as mulheres se atentem ao seu pôster e reflitam sobre o assunto, pois ainda há tempo para mudar e conquistar o que realmente é importante e deixar os exageros de lado.

    ResponderExcluir
  5. Com certeza uma mulher não precisa deixar de ser feminina, deixar sua essência de lado para poder conquistar espaço. Mesmo porque não tem como duas pessoas serem iguais. Direitos todos nós temos, e querendo ou não, são diferentes. Afinal, são sexos opostos. Acredito sim que a mulher deve ter seu espaço, crescer profissionalmente... mas sem deixar que suas atitudes a façam ser confundida com um homem. Afinal, cada um possui suas particularidades. E a diferença é o que nos torna indispensáveis.

    ResponderExcluir
  6. Lanne1:54 PM

    Palmas, palmas, palmas!

    Concordo em gênero (ó que legal), número e grau. Toda mulher nasceu pra ser feminina, independente e apaixonada; três coisas que eu sinceramente acho que podem andar juntas. Aos machistas/feministas de plantão, venhamos e convenhamos, o mundo todo vive do equilíbrio. Por que, então, haveria de ser diferente com os seres humanos.

    Se apaixonar não está nos jogos de azar ou nos flertes aleatórios de uma balada qualquer. Amar é muito mais racional do que pensa nossa vã filosofia.

    Bom.. como não largo meus óculos, só falta a pipoca e correr pra frente da tevê.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  7. Renata Spener3:28 PM

    Ai ai, muitas idéias pairando por aqui... Mas por partes. Eu adoro me relacionar com pessoas que possuem uma consciência do que realmente são. Odeio pessoas que fingem as coisas e acabam por se rotular. Logo, se você é um playboy, assuma. Se você é uma Patty, assuma. Sejamos pessoas autênticas. Isso facilita a comuniçação. E sim, procuramos a independência, a buscamos em cada ato e em cada decisão que tomamos, mas queremos ser amadas como merecemos... Pensa só... As mulheres hoje em dia estão muito mais especializadas, possuem duas faculdades, fazem cursos de línguas, malham. Me refiro àquelas com mais de 30 e que já saíram da fase de oba oba... Ah querido, merecemos coisa boa! Mas como o espaço é pequeno, vou parar por aqui.

    ResponderExcluir
  8. Anônimo3:53 PM

    Bellini...
    As pessoas perderam o valor das coisas hoje em dia é mais fácil ficar "pegando" qualquer coisa do que namorar. E muitas vezes as escolhas não são a melhor opção. Eu ainda prefiro os romances longos e duradouros. Tem mais conteúdo, é um conjunto de coisas boas que com o dia a dia você se apaixona cada vez mais. Mas nos tempos de hoje é bem difícil você encontrar pessoas que querem ter um relacionamento legal sem esse tal de ficar ficando... Ainda não consegui me acostumar com esse liberalismo todo, acho ridículo, você não sabe nem quem ta pegando e quais conseqüências você sofrerá com essas atitudes imaturas.
    Falta de opção? Não acredito! Todo mundo quer ser feliz! Atitude com responsabilidade é tudo!
    Sucesso sempre!
    Bj...
    "G"

    ResponderExcluir
  9. Sha Antunes4:36 PM

    Eu preciso fazer um comentario mais vou me preparar psicologicamente...

    éh maluco é dificil ser mulher!

    ResponderExcluir
  10. Olaá !!! Saí da Atual ontem e fui lanchar com as meninas. Adivinha qual era o assunto que rolava na mesa??? Seu novo post... hahaha. Fiquei muito curiosa, mas só quase 24 horas depois consegui ler... Como sempre, achei sensacional! Essa busca feminina por independência nos masculinizou realmente. Trata-se de uma situação que já me incomoda tem um tempo, tanto que criei uma comunidade no orkut a favor do direito de ser mulherzinha,chama "Igualdade uma ova!", entra lá! Bem, quanto a mim, continuo querendo fazer janta e assistir novela das oito... rsss bjão

    ResponderExcluir
  11. e como diz aquele cantor, que você mesmo gosta de cantar
    "garotos nao resistem aos nossos mistérios.
    Garotos nunca dizem não.
    e sempre tão espertos
    perto de uma mulher.
    são só garotos!"
    =)

    ResponderExcluir
  12. Pimenta9:24 AM

    A real é que hoje em dia existe mais mulheres-homens e homens-mulheres!

    O mundo tá um caos!
    Vc deu várias dicas no texto, agora vou dá uma tb: homens, não comam qualquer uma, comam a "tal".

    ResponderExcluir
  13. Dani Matos12:17 PM

    Ai ai ai...
    "Como é difícil ser mulher." rsrsrs
    Só sei de uma coisa. Adoro ser a mulher "moderninha", mas quando se trata de relacionamentos, eu ainda prefiro ser a mulher das antigas, e em muitas questões. Na conquista por exemplo, eu ainda prefiro que o homem "chegue", que ele mostre (de forma não sacana, claro) o quanto vc é bonita, interessante, etc e tal. Dividir a conta do restaurante de vez em quando rola, mas isso ainda é coisa pro homem. Fazer a comida pro namorado/marido de vez em quando é um charme. Mas não confudam as coisas! Nada de largar tudo pra ficar na beira do tanque lavado roupa, arrumando a casa ou pilotando todos os dias um fogão. A mulher tem mais é que tomar o seu espaço, mas sem perder a sua essencia feminina. Mulher tem que ocupar cargos altos, ter sua independência financeira, não depender de homem pra fazer o que quer, mas sem perder o seu feminismo. Fazer algumas coisas de homem, sim, mas de salto alto, maquiagem e com toda a delicadeza que só nós temos.

    ResponderExcluir
  14. Anônimo7:14 PM

    beto me add no msn

    ResponderExcluir
  15. malu_silveira_@hotmail.com

    ResponderExcluir