10.22.2005

Hoy llueve, hoy duele...

Nem adianta negar. Às vezes ficamos completamente submissos às nossas emoções. Ainda mais, quando existe um contexto propício para criar aquele"blues mood" em você. Sabem... tô falando daquelas coisas que queremos e não temos, do que vemos e não gostaríamos de ver, daquilo que ouvimos e preferiríamos esquecer, de sentimentos que machucam e, mesmo quando cicatrizam, insistem em sangrar com uma simples pancadinha. Pra completar o cenário, você acorda e o tempo está chuvoso, deixando tudo mais cinza, frio, monótono e bucólico.(essa chuva foi a minha pancadinha...)

Cultivo o hábito de conversar com as minhas emoções. Faço isso através da música. É melhor e mais fácil. Sobretudo quando você não consegue se expressar com as palavras certas. A música nunca falha. Sempre tem "aquela" que explica totalmente o seu momento, a sua cabeça e o seu coração. Ontem, uma não saía de jeito nenhum da minha cabeça e hoje, prefiro deixar ela falar por mim... eu realmente prefiro. Vocês vão entender, tenho certeza.

Metal contra as nuvens (Renato Russo)
Não sou escravo de ninguém, ninguém é o senhor do meu domínio.
Sei o que devo defender e por valor eu tenho e temo o que agora se desfaz. Viajamos sete léguas por entre abismos e florestas. Por Deus nunca me vi tão só. É a própria fé o que destrói. Estes são dias desleais.


Mas sou metal, raio, relâmpago e trovão.Eu sou metal, eu sou o ouro em seu brasão. Eu sou metal, me sabe o sopro do dragão.

Reconheço meu pesar quando tudo é traição. O que venho encontrar é a virtude em outras mãos. Minha terra é a terra que é minha e sempre será. Minha terra tem a lua, tem estrelas e sempre terá. Quase acreditei na tua promessa e o que vejo é fome e destruição. Perdi a minha sela e a minha espada, perdi o meu castelo e minha princesa.

Quase acreditei, quase acreditei. E, por honra, se existir verdade, existem os tolos e existe o ladrão. E há quem se alimente do que é roubo. Vou guardar o meu tesouro caso você esteja mentindo. Olha o sopro do dragão.

É a verdade o que assombra, o descaso que condena, a estupidez o que destrói. Eu vejo tudo que se foi e o que não existe mais. Tenho os sentidos já dormentes, o corpo quer, a alma entende. Esta é a terra-de-ninguém, sei que devo resistir.Eu quero a espada em minhas mãos

Mas sou metal, raio, relâmpago e trovão. Eu sou metal, eu sou o ouro em seu brasão Eu sou metal me sabe o sopro do dragão

Não me entrego sem lutar, tenho ainda coração. Não aprendi a me render, que caia o inimigo então. Tudo passa, tudo passará. E nossa história não estará pelo avesso assim sem final feliz. Teremos coisas bonitas pra contar, e até lá, vamos viver. Temos muito ainda por fazer, não olhe pra trás. Apenas começamos. O mundo começa agora! Apenas começamos.

E pra terminar...
"...and those moments will be lost in time like tears in the rain..." texto de Rutger Hauer como a personagem Roy, em Blade Runner, o Caçador de Andróides.

4 comentários:

  1. Fala man

    Musica e uma coisa foda... sempre existe um que corresponde exatamente a como vc estah se sentindo !!

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Essa música é do caralho man, e o final dela traz uma mensagem q lembra A NOSSA!!

    A chuva pode ter te dado uma pancadinha ,mas nao esqueca q depois dela o sol se abre de novo e a nossa vida continua cada vez melhor....

    Conte comigo sempre!

    Abraçao

    ResponderExcluir
  3. Ai ai...
    Eu sei bem do que vc está falando e acho que a chuvinha deu uma pancadinha em todo mundo. Mas passa, como disse o Dante, o sol se abre depois, com força total.

    ;)

    Fica beeeeem, tá?

    Beijos

    [ps: /me muito lenta de tanto dormir. não consegui me concentrar pra ler a música!]

    ResponderExcluir
  4. Vamos atualizar, neam?
    :P

    Bjs

    ResponderExcluir