10.17.2005

Ser ou não ser... eis a questão.

“Ser ou não ser, eis a questão! Que é mais nobre para a alma: sofrer os dardos e setas de um destino cruel, ou pegar em armas contra um mar de calamidades para pôr-lhes um fim, resistindo?"

William Shakespeare


Por mais incrível que pareça, esta frase, que representa o dilema de Hamlet e que foi escrita por Shakespeare entre 1599 e 1604, é mais comum, presente e atual em nossos tempos do que imaginamos.

Hamlet precisava escolher entre ser príncipe e ser ele mesmo... mas, e quanto a nós? Quais as nossas escolhas? Até que ponto podemos escolher sermos nós mesmos?

Quantas vezes não nos sentimos como ele, impotentes, apáticos, repletos de conflitos de consciência? Quantas vezes precisamos salvar o nosso reino de sua destruição, mas somos incapazes de agir de acordo com o que nós mesmos esperamos de nós?

É, eu ando melancólico, é fato... mas de alguma forma, a melancolia me ajuda a acentuar minha visão e aguçar os meus sentidos. Pensar fortalece a intuição e permite ver coisas que no ritmo frenético da vida, seriam impossíveis de serem percebidas.

Não pretendo exitar como Hamlet e deixar de fazer o que devo fazer. Mas prefiro ser prudente e pensar antes de agir. Ao contrário da personagem, acredito que podemos mudar o destino, e que a vida, por mais breve que seja, pode nos proporcionar todas as oportunidades que precisamos para sermos felizes... é só querer enxergar. Eu quero. E você?

6 comentários:

  1. Caramba, hein!
    Eu poderia ter escrito esse texto.
    Ah, esses dilemas.
    Tentar mudar, ser você mesmo, buscar a felicidade... Tudo isso é tão complexo que me deixa emo. :S

    Por isso que eu bebo!
    Rá.

    uhauhauahuahuaauha...

    Beijos beibe, fica bem!

    ResponderExcluir
  2. oi Bellini...ter dúvidas sobre uma decisão que precisamos tomar é a pior coisa que existe...as vezes a vida coloca a gente numas encruzilhadas que a gente não sabe o que fazer e nem pra onde ir...a gente tenta buscar ajuda em outro pra que a tão esperada solução apareça mais é perca de tempo..e quanto mais omomento da decisão se aproxima...mais difícil ficar enxergar o certo e o errado...ou melhor a gente até sabe o errado e o certo...mas porque a baeça pede uma coisa e o coração outra??? e aí...nessas horas a gente agi com o coração ou com a razão??? quem vai falar mais alto no final!!só queremos ser feliz e como tudo tem um preço a felicidade tem o seu, e esse é muito caro as veze...como ser livre pra viver se a vida te cobra tão caro!!!e assim os dias se vão e as horas também...só quero poder ser livre, ser feliz, sem magoar ninguém, respeitando o outro mas me respeitando também...

    ResponderExcluir
  3. Renata de Oliveira12:33 PM

    Oi, Bellini!!!
    Ontem eu esqueci de comentar acerca da música da semana que vc escolheu. Show de bola! Adoro Alejandro Sanz.
    Ei... vê se nao vai demorar quase uma semana p por outro texto. Nós, leitores assíduos, sentimos falta.
    Bjos e boa semana.

    ResponderExcluir
  4. Rê Spener1:14 PM

    Incrível a consciência que criamos com todas as situações da vida...
    Eu quero enxergar cada vez mais, e, como consequência disso, ser cada vez mais feliz...
    Bjaum gatoooo.

    ResponderExcluir
  5. Pior é quando sentimos essa impotência, quando sentimos que dificilmente há alguma coisa que possamos fazer.

    MAs o lance é traçar os objetivos na mente e realizar as ações para torná-lo real.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  6. Ótimo post! :) Adoro Shakespeare mas acho que Mário Quintana odiaria vc porque ele disse uma vez que deveria ser proibido escrever sobre Shakespeare! hehe

    Vai entender!

    ResponderExcluir